Bubble chat

Ainda é possível identificar uma baixa temporada de viagem?

Inverno na praia? Verão na serra? Sim, a época ou a estação do ano está cada vez menos relevante na hora de escolher o destino de uma viagem. Essa tendência vinha em crescimento nos últimos anos, mas agora o jogo virou de vez: números apontam que a chamada “baixa temporada de viagem” já não tem mais nada de baixa.

No Brasil, o mês de janeiro, tradicionalmente associado à alta temporada, por conta do verão e das férias, acaba de ser destronado pelo até então pacato março. Em 2019, o valor médio de viagens internacionais no primeiro mês do ano foi de US$ 959, contra US$ 701 de março, segundo dados da A1. Já em 2023, a média de janeiro foi de US$ 822, enquanto os embarques de março devem se aproximar de US$ 910.

A inversão dos valores denota que a demanda pelas passagens está se invertendo – por consequência, também a lógica entre alta e baixa temporada. Aliás, quem trabalha no setor de viagens tem observado paulatinamente o conceito de “temporada” perder a validade, uma vez que o interesse pelas viagens tende a se manter estável ao longo dos meses.

E não é apenas no Brasil que essa tendência se consolida. Longe disso. Uma reportagem recente do The Wall Street Journal demonstra que 2023 será um ano sem baixa temporada para os americanos. 

Nesse post, reunimos algumas explicações a respeito desse fenômeno – que também vão motivar você a ir para o aeroporto a qualquer momento do ano. 

Alta demanda e baixa oferta


Nos últimos 12 meses, houve um aumento de 225,8% na demanda brasileira por voos internacionais. No entanto, o aumento de ofertas foi de apenas 98%. A conta não fecha – e obriga os usuários a serem mais flexíveis na hora de marcar suas viagens. Com isso, fugir da alta temporada se tornou uma alternativa para evitar voos lotados e tarifas mais altas.

Vouchers da pandemia


A alta procura por viagens do último ano se explica, em parte, pela demanda reprimida durante o período de distanciamento controlado. Muitos turistas que tiveram voos cancelados receberam vouchers com tempo determinado para troca. Grande parte desses vales deve vencer ainda em 2023, motivando a troca mesmo fora da alta temporada.

Atrações perenes


Por mais que algumas atrações e hotéis ainda se conformem à lógica de temporada, fechando suas portas em meses de baixa, os destinos turísticos estão cada vez mais adaptados ao turismo ao longo do ano inteiro. Antes de reservar sua passagem e hotel, confirme se estarão abertos museus, parques, restaurantes e passeios que pretende visitar. Você poderá se surpreender ao encontrar a maior parte deles disponíveis na baixa temporada, com menos movimento e, eventualmente, com preços promocionais.

Novas experiências


Aos poucos, o perfil das viagens em família tem se transformado. Segundo o The Wall Street Journal, as famílias americanas não se contentam mais em atravessar o oceano em um voo apenas para mirar pontos turísticos da Europa. A tendência em crescimento são viagens que incluem atividades educacionais e cursos, como aulas de culinária com chefs locais, por exemplo.

Custos mais baixos


Com a possibilidade de acessar opções de acomodação de diferentes países, tornou-se possível marcar hotéis com antecedência, comparando valores entre alta e baixa temporada. Aproveite essa possibilidade para checar os valores antes de definir sua data de partida. Isso pode render a você uma boa economia.

Compartilhe este artigo