Bubble chat

Dica: controle os bilhetes não voados da sua empresa






Quando alguém não utiliza uma passagem*, a companhia aérea faz as deduções monetárias previstas em contrato (multas etc.) e disponibiliza um crédito no nome daquele passageiro por normalmente um ano. Pessoal e intransferível, este valor pode ser usado para novas compras ou pedido como reembolso. Estes recursos não utilizados podem ser determinantes para fechar a conta corporativa no azul. Cheque três dicas para manter este tipo de informação no radar.

Controle tudo

Em geral, é recomendável adotar um sistema para gerenciar toda a área de viagens corporativas. Os mais modernos, inclusive, identificam os créditos disponíveis para abater nos valores das novas compras. Eles também permitem consultas a companhias e a inserção manual de créditos. Nos casos em que o controle é manual, faça uma planilha detalhada e a atualize sempre que necessário.

Conheça as regras

Cada companhia aérea tem regras próprias sobre reemissão. É importante conhecê-las para não perder dinheiro. Por exemplo, em alguns casos é mais interessante comprar um bilhete de uma classe mais flexível, que não cobra multa de alteração, do que utilizar uma tarifa promocional que não permite cancelamento.

De olho nos prazos

Fique de olho nas datas de expiração dos créditos. Em geral, eles valem por um ano, por isso gere um alerta para um mês antes. Se, por acaso, você não for utilizar aquele valor, peça reembolso à companhia aérea. Cada real é importante.

*Algumas passagens não entram nesta regra, em geral as promocionais.

Compartilhe este artigo