Bubble chat

Microsoft destaca A1 e IA na gestão de viagens corporativas

O uso de Inteligência Artificial pela A1 Inteligência em Viagens na gestão de viagens corporativas foi destaque em evento na última quinta-feira (21). A empresa recebeu uma distinção importante da Microsoft.

O Microsoft AI Tour que ocorreu em São Paulo – e também é realizado em Paris, Tóquio e Sydney –, teve 5 mil inscritos. No tema sobre “Impacto acelerado com uso de ferramentas de low-code e IA”, a diretora de business applications para América Latina da Microsoft, Luana Lices Marins, destacou a A1 pelo uso das ferramentas de IA e os resultados obtidos. Com um detalhe: sem a participação de desenvolvedores.

Pois a Microsoft tem insistido que a IA não precisa de programador para ser utilizada. E esse é o caso do fundador da A1, Daniel Schaurich de Oliveira. “Uma das coisas que a Microsoft mais gosta no nosso caso é o fato de não usarmos desenvolvedores. Nós mesmos criamos as nossas soluções.”, afirma Daniel.

“O Daniel é uma pessoa curiosa. Ele começou a entender como poderia fazer para melhorar a produtividade. Então, durante a pandemia, começou a olhar como criar aplicativos, e a primeira coisa que fez foi usando a parte de automação e de integração”, disse Luana, na apresentação do case gestão de viagens corporativas da A1 no evento em São Paulo.

De acordo com a Microsoft, o caso da A1 é bastante raro. No entanto, segundo a gigante da tecnologia, porém, em 2026, 75% do desenvolvimento de soluções de IA será dessa maneira.

Image


Agente virtual para gestão de viagens corporativas

A Fifi é a agente virtual da A1. Trata-se de um bot de IA generativa que ajuda todo o time da A1. Ela responde, por exemplo, a perguntas sobre procedimentos, protocolos, sobre uma informação de um fornecedor.

Atualmente, a Fifi consegue ler conteúdo interno da empresa no SharePoint e dados externos. Mais de 2 mil companhias aéreas estão sendo analisadas para entender como é viajar com cada uma delas. “Quando a gente está falando com o nosso cliente, quanto mais passamos informações, mais confiança a gente ganha”, apontou Luana, ao falar do case da A1 no Microsoft AI Tour.

“Eles estão constantemente inovando. Eles utilizam todo esse conceito de baixa codificação. O Daniel não veio da área de tecnologia. Ele não é uma pessoa que fez anos de desenvolvimento, então ele conhecia e conseguia evoluir a empresa, e é o que faz realmente eles terem se diferenciado no mercado”, completou a diretora da big tech.

O uso de IA impactou 100% dos 55 colaboradores da A1. Com a ajuda da Fifi, eles puderam delegar à agente virtual tarefas como checar documentação de viagens, dar informações sobre fornecedores, dizer como é viajar na classe executiva da Emirates e logo após lançar uma venda no sistema.

Além disso, a IA também tornou a empresa mais eficiente. A A1 obteve um ganho de produtividade acima de 30% entre 2019 e 2023.

Compartilhe este artigo