Bubble chat

Quatro cuidados para não deixar mais cara a locação de carros

Estratégia que surgiu com a chegada dos aplicativos de transporte, a tarifa dinâmica ou flexível se espalhou para companhias aéreas, hotéis e, agora, locadoras de carros

A pandemia afetou as cadeias de produção, inclusive a automotiva, o que impacta a locação de carros até hoje. Isso porque as locadoras ficaram com os pátios quase vazios de automóveis, o que elevou os preços para alugá-los.

Como se não bastasse, os preços têm crescido ainda mais próximo da data da retirada do veículo. Antigamente, as locadoras trabalhavam com tarifa fixa por categoria de carro e sem influência de data. Esse padrão deixou de existir a partir da pandemia e tem gerado reclamações de usuários.

“As locadoras ficam com os carros por 12 meses ou 30 mil quilômetros. Depois, elas os vendem como seminovos. Na pandemia, aconteceu que as montadoras não conseguiam entregar os carros, por falta de peças. Até hoje, muitas vezes não tem veículo disponível”, explica a gerente comercial da A1 Inteligência em Viagens, Dedra Freitas.

As locadoras chegaram a parar de trabalhar com aluguel mensal simplesmente porque não havia automóveis suficientes. Somente agora a cadeia de produção começa a se ajustar, mas os efeitos seguem presentes. Nesse cenário complicado, também pode ocorrer de você sair da locadora com um veículo de categoria superior à do automóvel reservado, caso este esteja esgotado, e pagando o valor do modelo inferior. Essa situação se tornou mais frequente, mas isso é pura questão de sorte.

Veja como reduzir em sua empresa as chances de ter um custo alto demais com a locação de veículos:

1. Marcar a viagem com antecedência


A sugestão da A1 é de que as reservas de veículos sejam marcadas o mais antecipadamente possível. Isso reduz a chance de o preço da locação ficar muito caro, como acontece com as tarifas flutuantes aéreas e de hotéis.

2. Ficar atento ao calendário de eventos do seu destino


É fundamental estar atento ao calendário de eventos nas principais cidades para que as empresas consigam ajustar suas agendas e evitar viagens no período crítico, o que aumenta as tarifas de aluguel. Na A1, enviamos aos clientes o calendário dos possíveis eventos para ajuste no planejamento.

3. Não se atrasar


As penalidades por atraso ou não comparecimento estão altas. Chegar tarde a uma locadora de veículos pode render uma bela dor de cabeça: por falta de estoque, o automóvel já foi alugado por outra pessoa.

4. Fazer reservas em plataforma self-booking



É recomendável reservar voo, hotel, veículo etc. tudo junto, para evitar pendências. Isso é possível na plataforma self-booking da A1, que também consegue obter condições especiais. Na plataforma, o próprio colaborador faz as reservas, sob as regras da política de preços da sua empresa, que economiza tempo.

Ficou com alguma dúvida? Precisa de ajuda para economizar nas tarifas de aluguel de carros? Escreve para a gente!


Compartilhe este artigo