Bubble chat

Viagens corporativas: A1 e GVRS promovem evento sobre IA

A1 Inteligência em Viagens e o Grupo de Gestores de Viagens do Rio Grande do Sul (GVRS), ligado à Associação Latino Americana de Gestão de Eventos e Viagens Corporativas (Alagev), realizaram, na noite de quinta-feira (14), durante jantar no Peppo Cucina, em Porto Alegre, um evento sobre inteligência artificial (IA), tecnologia cada vez mais presente no setor. 

As nanorrevoluções

O conteúdo foi apresentado pelo futurista Felipe Menezes. Ele fez uma palestra que abordou o avanço acelerado da tecnologia, com rupturas cada vez mais rápidas do status quo. Como resultado desses fatores, ele definiu a ocorrência de “nanorrevoluções”.

“O futuro não chega ao mesmo tempo para todo mundo. As características demoram para chegar, dependendo do contexto em que se vive. Mas elas vão chegar mais cedo ou mais tarde. Vamos viver eras ou revoluções cada vez mais curtas, cada vez mais complexas e cada vez mais frequentes”, afirma Menezes.

As viagens corporativas estão na nanorrevolução

Entender essas características do mundo atual, repleto de incertezas e de mudanças a toda hora, e saber lidar com isso é essencial, segundo Menezes. O setor de viagens corporativas não está de fora dessas nanorrevoluções.

A IA está cada vez mais presente, ajudando os consultores de viagem a deixar as tarefas repetitivas, básicas e manuais para que se dediquem a atividades mais complexas. Ao mesmo tempo, essa complexidade aumentou.


Os preços de passagens aéreas, diárias de hotéis e de locadoras de veículos são afetados por eventos regionais. Além disso, há influência internacional de itens como câmbio e petróleo.

Os tipos de futuro

Por sempre estar para acontecer, o futuro não é previsível, diz Menezes. Mas é possível perceber sinais do que pode vir à frente. “O futurista encontra evidências sólidas, caquinhos de futuro no presente, que dão pistas, a partir de análises, de como as coisas podem ser no futuro”, aponta.

Há três tipos de futuros: os prováveis, os plausíveis e os possíveis. A partir dessas alternativas, é possível criar cenários, que ganham força se são desejáveis, salienta.

Após as provocações de Menezes sobre o futuro, os sócios da A1 Dedra Freitas, Lorena Ávila e Rafael Möller comentaram com os gestores de viagens presentes sobre as iniciativas da empresa na implantação de IA em suas rotinas.

O sistema já ganhou o apelido de Fifi. Ela é a sabe-tudo da A1, lê todos os manuais, protocolos, conhece as informações atualizadas de todos os fornecedores e usa isso para tirar dúvidas da equipe.

“É importante trazer tudo que está acontecendo no mercado, que está mudando demais. Em 26 anos de mercado, eu sei o quanto o dia a dia de vocês é trabalhoso, são muitas demandas e muitos desafios. Então, nosso intuito é trazer informações dessa nova tendência, esse novo mundo da inteligência artificial”, comenta Dedra.

A1: Gestão de viagens corporativas

Há 30 anos no mercado de gestão de viagens corporativas, a A1 Inteligência em Viagens oferece suporte de experts para implementação de política de viagens nas empresas e treinamento de equipes, bem como soluções operacionais, tecnológicas e financeiras de acordo com as necessidades de cada cliente. Tem equipe atuando em cinco Estados do país e atende empresas de pequeno a grande porte em todas as regiões.

A A1 trabalha com parceiros relevantes no mercado para a busca de melhores taxas aéreas, de hotéis e de locação de carros, como, por exemplo, a Uniglobe. Também conta com líderes em tecnologia e customização de soluções para apoio em remessas financeiras, organização de pagamentos, implementação de processos automatizados e produção de relatórios e dados.

Sobre o GVRS

O Grupo de Gestores de Viagens do Rio Grande do Sul (GVRS) é formado por profissionais que atuam no setor no Estado. Eles são responsáveis pela gestão de viagens em suas respectivas empresas. O grupo tem por objetivo prover conteúdo e discutir soluções para os gestores de viagens que operam nas companhias localizadas em Porto Alegre e demais cidades do Rio Grande do Sul. No total, há 15 grupos de gestores de viagens corporativas no mercado brasileiro.

Compartilhe este artigo